Marcaram presença cerca de 52 matilhas com mais de 1000 cães em exposição.

O I Encontro Ibérico de Matilhas, organizado conjuntamente com a autarquia de Mêda, Clube de Caça e Pesca de Mêda, FENCAÇA e Asociación de Rehalas Regionales Españolas, teve lugar nos dias 7 e 8 na nave de Exposições do Mercado Municipal com a presença de cerca de 50 matilhas provenientes de Portugal e de Espanha e com mais de 1000 animais em exposição. Paralelamente à exposição teve lugar uma prova de Santo Huberto de qualificação para o Campeonato Nacional.

Para além de todo potencial inerente às atividades cinegéticas, a organização desta iniciativa prendeu-se com a troca de experiências entre os matilheiros dos países. Procurou-se também promover os laços que unem este dois países através das atividades cinegéticas. As atividades deste tipo e as ligadas à caça podem ajudar à recuperação de algumas espécies ancestrais de cães que sempre estiveram presentes na Península Ibéria e que ameaçam desaparecer. A caça pode ser um importante meio de desenvolvimento complementar e sustentável das zonais rurais do interior dos dois países. Estas atividades permitem obter algum rendimento complementar nas localidades onde se pratica. Houve espaço também para demonstrações de Cães de Cova e de Rasto de Sangue, onde se pode ter uma melhor perceção do modo de atuar deste tipo de cães nas situações de caça para que são usados como por exemplo na caça ao coelho e à raposa.

A equipa Cinotécnica da GNR com a sua demonstração na tarde de domingo mostrou outra tipologia de uso que se pode dar aos cães, nomeadamente na segurança e patrulhamento, busca e salvamento e deteção de drogas.

A segunda edição deste encontro está marcada para setembro em Salamanca.