Debatida a temática das migrações na Casa Municipal da Cultura

No dia 10 de Junho, realizou-se no auditório da Casa Municipal da Cultura de Mêda, o Colóquio “Migrações e Sustentabilidade”. Foi eleito este dia, dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas, não só por ser o dia em que se presta tributo à vida e obra literária de Luís Vaz de Camões, esse grande vulto da cultura portuguesa, que simboliza o humanismo, o valor patriótico e os feitos heroicos do povo ilustre lusitano, mas, também, por ser nesta data, que se presta homenagem aos milhões de Portugueses que vivem em diáspora, espalhados pelo Mundo, na demanda de uma vida com mais e maior dignidade.  

Foram debatidas pelos diferentes oradores as causas da emigração, movimento populacional universal no espaço, intemporal na história; a necessidade de maior convivência e diálogo intercultural, num mundo cada vez mais globalizado em todos os domínios e de grande miscigenação cultural, e a componente do desenvolvimento sustentável, que viria a incutir ao colóquio uma vertente de maior atualidade, visto terem sido debatidas formas  de combate à desertificação e de promoção da fixação,  enaltecendo mecanismos e propostas que possam obstaculizar a que os fenómenos migratórios não tenham uma expressão tão  notória e pronunciada, como a que se verifica no nosso País, particularmente na Beira Interior.

Prestou-se homenagem aos emigrantes, designadamente os ex-emigrantes do concelho de Mêda que regressaram, mediante a recriação da sua história, recolhendo e escutando os seus testemunhos, por vezes eivados de dramatismo, ventura e de muita coragem.

Foram declamados poemas e entoada uma canção relacionada com a temática da emigração e, na parte final, alunos do Agrupamento Escolar de Mêda, do Curso Técnicos de Gestão do Ambiente, apresentaram com grande brilhantismo o projeto “Educar para a sustentabilidade”.

Estão o Município de Mêda e o CLA da Universidade Aberta na Mêda de parabéns pela realização deste evento cultural.