Munícipio de Mêda presta Homenagem às gentes de Abril

Ontem, dia 25 de Abril, teve lugar, no Salão Nobre dos Paços do Concelho uma sessão comemorativa alusiva a esta mítica data. Estiveram presentes o Sr. Presidente da Câmara Municipal e restante Executivo, o Sr. Governador Civil da Guarda, Membros da Assembleia Municipal e diversas personalidades do concelho.

Nesta comemoração foram recordados os valores e princípios que estiveram na origem desta revolução, recordando episódios e várias personalidades históricas. Houve lugar também a uma reflexão do panorama actual que faz com que muitos portugueses não se identifiquem com a data, particularmente nas camadas mais jovens, como fincou o represente da bancada do Partido Social Democrata na Assembleia Municipal de Mêda, Carlos Fial, referindo que é importante, nós todos termos uma posição activa na vida política do País, parafraseando uma célebre frase do presidente norte-americano Jonh Kennedy “…não perguntem o que o país pode fazer por vocês, mas sim o que podem fazer pelo país.”

O Sr. Presidente da Câmara referiu: “Para os jovens de hoje será talvez difícil imaginar o que era viver neste Portugal de há quase 40 anos onde era rara a família que não tinha alguém a combater em África, a expressão pública de opiniões contra o regime e contra a guerra era severamente reprimida pelos aparelhos censório e policial, os partidos e movimentos políticos eram proibidos, as prisões políticas cheias, os líderes oposicionistas exilados, os sindicatos fortemente controlados, a greve interdita, o despedimento facilitado, a vida cultural apertadamente vigiada. A anestesia a que o povo português esteve sujeito décadas a fio, os esforços denodados das elites oposicionistas, a par das injustiças sociais agravadas e do persistente atraso económico e cultural, num contexto que contribuía para a identificação entre o regime ditatorial e o próprio modelo de desenvolvimento, são em grande parte responsáveis pela euforia revolucionária que se viveu a seguir ao 25 de Abril, durante a qual Portugal tentou viver as décadas da história europeia de que se vira privado pelo regime ditatorial. Este dia teve a dimensão de uma nova vida de todo um povo que desperta de uma sonolência imposta ao longo de meio século.”

O Sr. Governador Civil da Guarda, também vincou a ideia de que é preciso que todos estejamos unidos e que unamos esforços para alcançarmos um futuro melhor, que começou a ser escrito a partir do 25 de Abril de 74. Referiu ainda que todos devemos ter orgulho no nosso distrito, que devemos lutar para que a marca “Guarda”, distrito, seja reconhecida como uma marca competitiva e de grande prestígio. Isso só é possível com a união de todos nós.

Depois da sessão comemorativa, teve lugar uma singela homenagem a todos os ex-combatentes do Ultramar com a colocação de uma coroa de flores, no monumento do Ex-Combatente.