Mêda e Saint-Aubin (Suíça) assinaram Acordo de Geminação

O Município de Mêda e a Comuna de Saint-Aubin, na Suíça, assinaram um Acordo de Geminação onde prevalece a vontade de construir uma Europa mais justa e colaborar nos domínios cultural político, desportivo, recreativo, e social.

O Acordo de Geminação foi celebrado nos Paços do Concelho Medenses com base em laços de amizade e cooperação existentes entre os dois Municípios e a comprovada vontade de ambas a partes colaborarem, solidariamente.

P acordo foi assinado por João Mourato, Presidente do Município de Mêda e Michel Marchand, autarca de Saint Aubin, com testemunho de José Maria Fresta, emigrante medense e conselheiro da comuna, o primeiro português no cargo depois da reforma eleitoral suíça.

O Presidente da Câmara Municipal de Mêda, João Mourato afirmou então que este tipo de acordos é “importante no estreitamento das relações entre duas comunidades e sobretudo com um município da Suíça onde residem muitos portugueses que têm contribuído para o desenvolvimento social, cultural e económicos local”.

O autarca salientou o trabalho desenvolvido pela comunidade portuguesa radicada naquela cidade conhecida pelo seu licor de ameixa, tradicional, e sobretudo a motivação que José Maria Fresta, medense radicado há muitos anos em Saint-Aubin, imprimiu na celebração deste Acordo de Geminação.

O Presidente do Município disse ainda que “a solidariedade é um dos princípios básicos que deve presidir à cooperação entre os povos e a interculturalidade, no espaço europeu, é necessária à sua união efectiva, dentro e fora das fronteiras da União Europeia“.

Sobre José Maria Festa em Saint-Aubin, João Mourato afirmou que “foi naquela cidade e comuna suíça onde este medense, de elevadas qualidade humanas e de empreendedorismo, se fixou, constituiu família mas nunca esqueceu as raízes familiares e de origem – a Mêda – com que mantém laços estreitos”.
 

O autarca de Saint-Aubin, Michel Marchand, salientou por seu turno, o propósito de estreitamento das relações com a Mêda n uma base social, cultural, politica, desportiva, económica e de juventude.

Evidenciando que “apesar da distancia de 1783 quilómetros é possível construir-se uma cooperação e amizade” Michel Marchand salientou que, com base no acordo firmado, pretendem desenvolver-se as relações culturais, sociais, intercâmbio de jovens, político e desportivo, troca de experiências “num pé de igualdade”.

Através do acordo de geminação assinado, a Câmara Municipal de Mêda e a congénere de Saint-Aubin manifestam a vontade de “conjugar todos os esforços, reunir vontades para contribuir, por todos os meios ao alcance, para que a Paz e prosperidade sejam, em todo o tempo, as razões fundamentais que sedimentam a construção de um Mundo melhor, reconhecendo o contributo dos laços de amizade que, ao longo da história e de vida das nossas Terras, os nossos concidadãos quiseram e souberam construir”.
 

Mêda afirma-se assim, além fronteiras, através dos seus naturais, como uma terra de referência, participativa de um objectivo que ultrapassa a singularidade de uma assinatura ou de um documento de Geminação, mas com o propósito de se projectar numa perspectiva de Cooperação, Paz, Intercâmbio e União entre comunidades, povos e culturas.