Promoção dos Recursos Cinegéticos, Florestais e Produtos Regionais do Concelho

De 11 a 13 de Novembro, decorreu na cidade de Mêda, a II Feira da Caça, Floresta e Produtos Regionais, organizada pela Câmara Municipal de Mêda, em parceria com a Associação Clube de Caça e Pesca de Mêda.

Este certame teve como objectivo promover o que de melhor se produz na região, em especial no concelho de Mêda, proporcionando assim a oportunidade de conhecer e adquirir produtos locais, principalmente o azeite, a castanha, o vinho e a amêndoa. O ordenamento do espaço e da gestão sustentada da caça tornaram o concelho num destino cinegético de excelência, de modo a contribuir para o aumento do rendimento das explorações agrícolas e para o rendimento das comunidades locais, sendo por isso um importante contributo para o desenvolvimento rural.

No discurso inaugural na Sessão Solene de Abertura nos Paços do Concelho, o Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural – José Daniel Rosas Campelo da Rocha, referiu a importância que o aproveitamento dos recursos cinegéticos têm na valorização do território e na promoção dos vários produtos locais, uma vez que passam a ser adquiridos por elementos externos que através da caça se deslocam ao concelho. Mencionou ainda: A actividade cinegética representa uma alternativa para complementar as receitas do sector agro-pecuário, que se viu afectado nos últimos anos pelo incremento da concorrência e pela perda de competitividade dos produtos tradicionais. A prática de turismo cinegético complementa-se com outros tipos de turismo (pesca, sol e praia, monumentos, etc.), especialmente no caso de visitantes estrangeiros. Desta forma a procura dos turistas cinegéticos distribui-se entre uma ampla gama de segmentos turísticos.

Por sua vez o Presidente da Câmara Municipal, Armando Carneiro, realçou a importância que as políticas de promoção e valorização de produtos agro-alimentares tradicionais de qualidade têm tido nos últimos anos, objecto de atenção constante em diferentes documentos comunitários e apontadas como uma das alternativas ao desenvolvimento do meio rural. No momento actual assiste-se, de facto, a uma reorientação do modelo de desenvolvimento agrário e vários autores referem o grande potencial dos produtos agrícolas tradicionais locais no desenvolvimento das regiões rurais mais frágeis, enquadram-se portanto no objectivo desta feira.

A II Feira da Caça, Floresta e Produtos Regionais contou com várias áreas de exposição relacionadas com a caça, produtos regionais, exposição e venda de vinhos locais, animação e diversas actividades ligadas à temática da feira. O programa integrou no dia 11 (feriado municipal) o II Encontro de Sapadores Florestais do Distrito da Guarda, onde teve lugar um concurso de “perícia de corte” (dirigido para as equipas de Sapadores Florestais), ganho pela equipa de Sapadores Florestais de Manteigas e um magusto convívio.

No dia seguinte, realizou-se uma montaria ao javali, com mais de 100 caçadores onde se abateram 9 espécimes, o I Concurso da Castanha que teve como vencedor o produtor João do Espírito Santo Brás residente na freguesia de Pai Penela e apresentação pública do livro “Mêda – Entre a Serra e o Douro, da autora Elisabete Araújo Ramos, promovido pela empresa Três R´s – Formação, Turismo e Lazer, Lda, sedeada no concelho de Mêda.

No dia 13 teve lugar o 1º almoço convívio das zonas de caça municipais, associativas e turísticas da região, bem como o V Encontro de Concertinas, promovido pelo Centro Sócio-Cultural da Coriscada. Durante todos os dias do evento, houve também lugar a demonstrações de cetraria, demonstração de esculturas em madeira feitas com motosserra pelo escultor de árvores Emmanuel Courtout, que impressionou todos os presentes, Laser Shot, exposição de espécies cinegéticas e animação musical.