Posição da Câmara Municipal

A Câmara Municipal Mêda, perante a notícia do encerramento do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) do Centro de Saúde da cidade de Mêda, para o horário compreendido entre as 20:00h e as 08:00h, levado a cabo pela ARS Centro, a partir do passado dia 14 de Julho, vem tornar público que se tratou de uma decisão da tutela e que esta é repudiada e contestada pelos órgãos autárquicos.

Por tal motivo, a Autarquia comunica o seu desacordo face a tal procedimento, mantendo o compromisso de defender o não encerramento deste serviço essencial, por este se constituir como uma mais-valia para o bem-estar de todos os munícipes, contribuindo para a fixação populacional num território tão desertificado. Este serviço, torna-se de uma importância maior, uma vez que abrange uma população maioritariamente idosa e carente. Para além dos problemas que o encerramento do SAP comportará, ver-se-ão agravados pela distância a que o Centro de Saúde se encontra do Hospital de Referência (Hospital Sousa Martins – Guarda) que dista a cerca de 70 km, à qual acresce a inexistência de uma equipa do INEM que possa assegurar os transportes mais urgentes e prestar os primeiros cuidados em casos de gravidade comprovada.

Para o Município o que está em causa é o Estado Social, onde a saúde deve encontrar a sua importância singular, intensificando-se ainda o dever da sua defesa quando falamos do interior, onde estamos longe de tudo e de todos.

O presidente da Câmara Municipal, Armando Carneiro, já solicitou uma audiência com o Secretário de Estado da Saúde, para defender o não encerramento deste serviço.

A autarquia compromete-se, perante todos os Munícipes, a assumir, com eles, a linha da frente na defesa do não encerramento anunciado, pois a vida humana é um valor inestimável, a sua desconsideração perante as confrontações com análises ou critérios economicistas, é uma afronta inqualificável. Iremos desencadear todos os mecanismos ao dispor, no sentido de tentar impedir o anunciado encerramento do SAP.