Apresentação da Carta Arqueológica do Concelho de Mêda
Um instrumento de cultura, entre o passado e o presente
face ao futuro


Um instrumento de cultura, entre o passado e o presente


face ao futuro

A Câmara Municipal da Mêda editou a CARTA ARQUEOLOGICA DO CONCELHO DE MÊDA, de autoria de António Sá Coixão, Ana Brígida Cruz e Paulo Vaz Simão.

Mais do que um livro, este é um registo importante do património de um concelho que almeja pela afirmação no futuro mas sempre com pés assentes no legado histórico e cultural.

O Presidente da Câmara Municipal da Mêda, João Mourato, evidencia esta edição como um “acto histórico, um gesto de cultura, uma afirmação do passado no presente face ao futuro que se quer de progresso e desenvolvimento”.

“Todos os povos ou comunidades que não se preocupem em preservar as memórias dos seus antepassados, estarão a destruir os elos mais fortes do seu orgulho colectivo. Povo sem memória jamais poderá escrever a sua história”, afirma o Presidente do Município no Prefácio do livro.

E acrescenta: “ A realização de obras infra-estruturais, que contribuam para o bem-estar e conforto das populações, devem continuar a ser prioritárias.     No entanto, tal como vem acontecendo no concelho da Mêda, na cidade ou na mais recôndita aldeia, tais prioridades não devem ser redutoras para as acções de defesa e valorização do denominado património cultural no seu todo”.

Esta obra muito se deve a uma equipa liderada pelo historiador, investigador e arqueólogo António Sá Coixão, que, a partir de 2003, com o apoio do Município de Mêda, elaborou um Plano de Investigação para o concelho da Mêda e que tem dirigido fantásticos trabalhos de escavação e investigação no Castro de São Jurge (Ranhados), Casa do templo (Marialva) e Vale de Mouro (Coriscada), sendo este um dos mais valiosos sítios arqueológicos.

Uma equipa de arqueólogos de Lyon- França, integra este projecto, tendo como Director-adjunto o luso-descendente Tony Silvino, arqueólogo naquela cidade francesa.

É de reconhecer aqui a colaboração da Arqueóloga Ana Brígida Cruz e do Arquitecto Paulo Simão.

A apresentação inclui um conjunto de comunicações:

– A Beira Interior na Época Romana: da paisagem rural às capitais de civitates, Prof. Doutor Pedro Carvalho (Fac. de Letras da Universidade de Coimbra);

– Arquitectura e Arqueologia da Villa da Coriscada, Dr. António Sá Coixão (ACDR Freixo de Numão) e Dr. Virgílio Hipólito Correia (Museu Monográfico de Conímbriga);

– O Cortejo  de Baco da Villa da Coriscada, Dr.ª Cristina Oliveira (Centro de Estudos Arqueológicos das Universidades de Coimbra e Porto).

Neste mesmo dia, foi inaugurada na Casa Municipal de Cultura uma exposição:

 “ Baco e o Norte da Lusitânia” na sala de exposições da Casa Municipal da Cultura de Meda;

Esta exposição vai estar patente ao público até 31 de Agosto.